Cirurgias

Artrodese Cervical Anterior

É um tipo de cirurgia realizada na região anterior do pescoço (cervical) para tratar  instabilidades e/ou herniações discais na coluna cervical que causa dores, formigamento e perda da sensibilidade ou força motora no braço.

Para os casos em que a cirurgia é recomendada, ela pode ser feita por meio das seguintes técnicas:

  • Discectomia e fusão cervical anterior

Envolve uma incisão na frente do pescoço para a remoção de um ou mais discos. Após isso, a raiz nervosa ou a medula espinhal afetada é descomprimida e um espaçador é colocado no local onde o disco foi removido e dentro dele é colocado enxerto ósseo. Placas e/ou parafusos são usados para garantir a estabilização.

  • Corpectomia e fusão cervical anterior

Envolve uma incisão na frente do pescoço. Trata-se de uma cirurgia em que a vértebra e o disco são removidos para aliviar a pressão sobre a medula espinhal e os nervos na coluna cervical. Um espaçador é colocado na área onde o material foi removido e, em seguida, ele é preenchido com enxerto ósseo. Placas e parafusos são usados para garantir a estabilização.

As duas técnicas têm baixas complicações podem possibilitar redução importante nas dores.

Artrodese (ou Fusão)

É uma cirurgia na qual uma ou mais vértebras são unidas (fundidas), como numa soldagem, para estabilizar a coluna vertebral. É indicada no tratamento de doenças  degenerativas, correção de deformidades (curvas espinhais patológicas e/ou escorregamentos) nos diversos tipos de instabilidades.

Enxertos ósseos são colocados ao redor da coluna durante a cirurgia para atingir a fusão óssea, porém esse trabalho de “soldagem” só acontece ao longo de vários meses, durante a recuperação do paciente.

A artrodese tem o intuito de tratar diversas doenças da coluna. Os objetivos de qualquer fusão intersomática são: promover o crescimento de osso entre dois corpos vertebrais, descomprimir estruturas neurais e corrigir/manter o alinhamento do local operado.

Todos os métodos de fusão intersomática envolvem a colocação de um espaçador com enxerto ósseo entre as vértebras. Esse conteúdo pode ser inserido tanto pelas costas, pela frente, pelo lado ou por uma combinação delas. O objetivo é obter uma união sólida entre duas ou mais vértebras. Placas, hastes e parafusos são usados para garantir a estabilização.

Cicatrização óssea substancial, descompressão das estruturas neurais e alinhamento das vértebras.

Artroplastia Cervical

É uma cirurgia que envolve a remoção de um disco cervical (uma espécie de amortecedor entre os ossos do pescoço) e a sua substituição por um dispositivo artificial. Discos danificados por trauma ou degeneração podem ser uma fonte de dor. Se parte de um disco sair da sua posição normal, poderá causar pressão na medula espinhal central ou nas raízes nervosas individuais que saem do canal medular. O tratamento envolve fisioterapia, medicamentos ou injeção na coluna vertebral. Se os sintomas persistirem por até 12 semanas, a cirurgia pode ser recomendada.

É semelhante à discectomia, exceto que o defeito criado pela remoção do disco entre as duas vértebras é preenchido por um dispositivo metálico de substituição de disco. A cirurgia é realizada com o paciente sob anestesia geral. Uma incisão é feita em um lado do pescoço. O disco danificado é removido e o dispositivo metálico é colocado na posição entre as vértebras.

O uso de um dispositivo metálico no lugar do disco preserva o movimento na área da coluna afetada, o que pode proteger contra a degeneração acelerada dos discos acima e abaixo do local operado. A cirurgia possibilita menos complicações e menor dor pós-operatória.

Cifoplastia

É indicada para pessoas que sofreram fratura devido a traumas ou tumores e que tiveram diminuição de altura do corpo vertebral (aparência encurvada).

Consiste na inserção de pequenos balões no interior das vértebras comprimidas para tentar restaurá-las para uma forma mais normal. Um material semelhante ao cimento (polimetilmetacrilato) é injetado no espaço criado pelo balão para reter a correção. Isso permite uma melhora no alinhamento da coluna. O paciente tem alta no dia seguinte à cirurgia.

Dentre as vantagens estão a melhora da dor, a redução do uso de medicamentos analgésicos e a retomada mais rápida das atividades rotineiras.

Vertebroplastia

É um procedimento usado para tratar tumores vertebrais e fraturas por compressão. Pode oferecer estabilidade da coluna vertebral a pacientes com fraturas da coluna vertebral causadas por osteoporose e àqueles que tiveram trauma ou tumores da coluna.

Auxiliado por imagem, o médico injeta na vértebra fraturada uma substância semelhante a cimento (polimetilmetacrilato). O processo finaliza em até 2 horas, embora a injeção real leve apenas 10 minutos. A mistura endurece em meia hora. O paciente tem alta no dia seguinte à cirurgia.

A vertebroplastia percutânea pode ser preferida à cirurgia aberta para pacientes com osteoporose devido ao osso já frágil. É usada na estabilização da coluna para melhorar a qualidade de vida do paciente, com alívio da dor.

2020 Copyright © Raquis Instituto da Coluna – Todos os direitos reservados

Open chat